A Neurociência e as Barras de Access

A Neurociência comprova que com sessão de Barras de Access atingimos frequências cerebrais da Mente Desperta ou Mente de Alta Performance!

O neurocientista Ph.D, Dr. Jeffrey L. Fannin analisou e mapeou, através de eletroencefalogramas, o comportamento das ondas cerebrais antes e depois da aplicação das Barras de Access. “Quando vi os resultados, fiquei de queixo caído!”, diz Dr. Fannin, no vídeo postado no final deste artigo, onde ele demonstra os resultados desta experiência, “Foi algo jamais visto em mais de 16 anos de carreira”, afirma.

Alguns voluntários fizeram exames de eletroencefalograma, antes, durante e depois de uma sessão de Barras de Access. Foram colocados capacetes com 19 eletrodos de medição da atividade cerebral e eles mostraram comportamentos nunca vistos antes!

 

Mapeamento Cerebral Encefalograma Barras de Access

Mapeamento Cerebral Encefalograma Barras de Access

 

Nas imagens dos exames, nas três primeiras linhas vemos um mapeamento cerebral normal antes da aplicação da ferramenta, onde o ponto vermelho é identificado como PZ e está mostrando aproximadamente três desvios-padrão.
Os pontos vermelhos mostram um cérebro muito mais ativo.

Após a aplicação de Barras de Access, pode-se notar a baixa frequência adquirida de 2,7 Hz, as chamadas ondas Delta (indicada pela cor verde), tendo acesso ao inconsciente, onde a maioria das nossas crenças reside, governando a boa parte de nossa evolução na vida.

O QUE SÃO ONDAS CEREBRAIS E COMO FUNCIONAM?

As ondas elétricas cerebrais, como todas as ondas, são medidas de duas maneiras. A primeira é a frequência ou a velocidade dos impulsos elétricos. Frequência é medida em ciclos por segundo (Hz), variando de 0,5 Hz a 38 Hz. A segunda medida é a amplitude, ou o quão forte é a onda cerebral. Ondas cerebrais são classificadas por frequência em cinco tipos: BETA, ALFA, THETA, DELTA e GAMA. O Eletroencefalograma (EEG) registra graficamente as correntes elétricas dos hemisférios esquerdo e direito do cérebro, através de eletrodos aplicados no couro cabeludo.

Ondas cerebrais BETA são rápidas, variando de 13 a 38 ciclos por segundo. É o estado de pensamento normal, sua consciência externa ativa e o processo de pensamento. Sem Beta não seríamos capazes de exercer nossas funções no mundo exterior.

Ondas cerebrais ALFA nos permitem o estado de consciência individual relaxado, visualizações de imagens sensoriais e devaneio. Variando entre cerca de 8 ciclos a 12 ciclos por segundo, Alfa vem a ser a porta de comunicação entre o consciente (beta) e o inconsciente (theta).

Ondas cerebrais THETA representam nosso inconsciente. Variando de cerca de 4 a 8 ciclos por segundo, Theta está presente nos sonhos e proporciona a experiência de meditação profunda. Theta também contém o depósito de inspiração criativa e é onde muitas vezes nós temos a nossa ligação espiritual.

Ondas cerebrais DELTA retratam nossa mente inconsciente, o estado de sono profundo, variando de cerca de 0,5 ciclo por segundo a 4 ciclos por segundo. Mas, em combinação com outras ondas no estado de vigília, Delta atua como uma espécie de radar procurando informações, chegando a entender no mais profundo nível inconsciente coisas que não podemos compreender através do processo do pensamento. Delta nos oferece intuição, sintonia empática e discernimento instintivo.

Eletroencefalograma Ondas Cerebrais Barras de Access

Ondas cerebrais GAMA ficam acima de 39 Hz e estão envolvidas na maior atividade mental e na consolidação das informações. Os meditadores avançados tibetanos produzem níveis mais elevados de Gama que as outras pessoas, tanto antes como durante a meditação.

O padrão de ondas cerebrais da Mente Desperta ou Mente de Alta Performance (Gama) combina todos os padrões de frequência cerebrais somados: o radar empático e intuitivo das ondas Delta; a inspiração criativa, a percepção pessoal, e consciência espiritual das ondas Teta; a capacidade de transição e relaxamento com consciência das ondas Alfa; e da atenção externa e capacidade de processo de pensamento consciente das ondas Beta, tudo ao mesmo tempo.

Este experimento com a neurociência mostra que atingimos essa frequência com uma sessão de Barras de Access.

Que tal experimentar uma sessão de Barras de Access e comprovar por sí mesmo tudo isso que estamos te contando? Clique aqui para mais informações.

 

Confira abaixo o vídeo na íntegra: o neurocientista Ph.d Dr. Jeffrey L. Fannin e o experimento com Barras de Access.
(Habilite, o botão de tradução de legendas para o Português, na parte inferior direita da janela de vídeo)

 

Gratidão!
Equipe Villa do Bem

Relacionados